Real JoBelo

Archive for the ‘Santos’ Category

Tensão na Vila

In Brasileirão 2010, Santos on 21 de julho de 2010 at 16:14

9ª rodada – Santos 0x1 Fluminense

Foto: Douglas Aby Saber/AE

Santos volta a perder em dia de desentendimento entre Robinho e Wesley. Flu é vice-líder.

O Santos perdeu pela segunda vez em seu segundo jogo depois da parada da Copa do Mundo. A tensão ronda a Vila Belmiro às vésperas da grande final da Copa do Brasil, contra o Vitória.

Depois do Palmeiras, agora o algoz foi o Fluminense, em plena Baixad Santista. A equipe praiana não jogou mal, dominou o jogo e criou as melhores chances para abrir o placar, mas acabou levando um gol no contra-ataque e perdendo o jogo.

O grande problema foram as atuações dos jogadores diferenciados da equipe. Robinho voltou, Ganso atuou desde o início e Neymar também esteve em campo. Nenhum deles conseguiu brilhar. Para piorar, Neymar acabou substituído novamente. Desta vez não houve reclamação.

André, já negociado com o futebol ucraniano, é outro que ainda não voltou a mostrar seu faro de gol depois do Mundial e acabou substituído por Marcel, que aliás está ganhando espaço com o treinador. Nesta partida, ele acertou uma pancada no travessão e por pouco não espantou a pseudo-crise.

O Fluminense, agora vice-líder da competição, não tem nada a ver com os problemas santistas. Bem ao estilo Muricy, a equipe se segurou na defesa, saiu em velocidade e definiu a vitória com um gol de Alan, aos 32 minutos do segundo tempo: 1×0. Olho no Fluzão!

Já aos santistas deve-se pedir calma. A pequena série de derrotas fez com que muitas pessoas culpassem a marra de Neymar e o assédio da galera aos jovens. Esqueceram que o garoto foi campeão paulista e ajudou a levar o clube à final da Copa do Brasil mesmo com essa marra toda?

A briga entre Robinho e Wesley, que ganhou o noticiário nos últimos dias, também não parece ter sido nada grave. Claro que o celular do volante e o retrovisor do atacante, vítimas do desentendimento, serão substituídos com facilidade. O Santos não perdeu por isso.

Falta a equipe o mesmo ritmo de jogo do início da Copa e um pouco mais de malícia para fugir da marcação. Ou voc~es achavam que, depois de um primeiro semestre encantado, a garotada teria moleza diante dos marcadores? Diguinho que o diga.

“Eles são jogadores rápidos e a gente acaba tendo de parar as jogadas com faltas e recebendo o cartão amarelo. Consegui me controlar para continuar em campo até o fim e conquistar mais uma vitória importante”, disse o volante do Fluminense, principal responsável pela marcação dos homens de frente santistas.

Calma, torcedor. O Peixe vai melhorar.

Com a cara do chefe?

In Brasileirão 2010, Palmeiras, Santos on 17 de julho de 2010 at 4:46

8ª rodada – Palmeiras 2×1 Santos

Foto: Ricardo Matsukawa/Terra

Com Felipão nas tribunas da “nova casa”, Verdão vence o time sensação do primeiro semestre e empolga a torcida.

Luiz Felipe Scolari chegou ao Brasil há poucos dias e nem sequer esteve no banco de reservas do Palmeiras no duelo contra o Santos. Mesmo assim, a ótima vitória conquistada pelo Verdão é atribuída por muitos à chegada do novo chefe, que foi representado por Murtosa na beira do gramado. Será?

Já sem Cleiton Xavier, negociado com o futebol ucraniano, a equipe foi a campo com três volantes: Marcos Assunção, Edinho e Márcio Araújo. Pierre, machucado, também não pôde jogar, mas será o único remanescente do ótimo meio-campo que brilhou em boa parte de 2009 e até em 2010, com CX10 e Diego Souza, que foi para o Galo.

Aliás, a saída de Cleiton Xavier para um clube do segundo escalão da Ucrânia é incompreensível. A qualidade do jogador é inegável e sua passagem pelo Palmeiras foi muito positiva. Havia espaço para ele num mercado mais glamuroso, como o futebol alemão, por que não?

No Palmeiras, a vida já começou a seguir sem ele. Com a formação escolhida por Murtosa, os garotos do Santos não tiveram espaço para mostrarem o belo futebol da primeira metade do ano. Neymar, inclusive, foi substituído por Marcel no segundo tempo e saiu reclamando de Dorival Júnior. Aparenta se muito mimado o ótimo moleque do Peixe.

Outro ótimo moleque é Tinga, recém trazido da Ponte Preta. Ele estreou no Pacaembu, entrando no lugar Lincoln, e balançou as redes em um de seus primeiro toques na bola, aos 21 do segundo tempo. Antes, aos 17 da primeira etapa, Ewerthon havia marcado um golaço, com um chutaço de fora da área.

No fim, Marcel diminuiu para o Santos com mais um gol muito bonito. No fim, a bola passou por Deola e Vitor quase marcou contra, assustando a parte verde do estádio, que será utilizado pela equipe durante as reformas do Palestra Itália.

Venceu, convenceu por alguns minutos e empolgou. Dedo do chefe?

É esperar para ver.

Vitória da seriedade

In Brasileirão 2010, Santos on 29 de maio de 2010 at 22:01

4ª rodada – Santos 3×1 Guarani

Foto: Ivan Storti/Lance!

Sem dancinhas, Santos sofre na Vila, mas vence o Guarani.

Ao contrário do duelo pela Copa do Brasil, quando venceu por incríveis 8×1, o Santos não teve vida fácil diante do Guarani, que aliás está com um time completamente diferente.

Sem Robinho, que já está com a Seleção na África do Sul, Dorival Júnior promoveu o retorno de Ganso, Neymar e André no time titular e o começo foi animador.

Logo na primeira oportunidade, Neymar avançou pela esquerda, cortou para o meio e bateu no contrapé do goleiro Douglas.

A torcida ainda se empolgou com um belo chapéu aplicado por Paulo Henrique, mas a magia acabou rápido e o Guarani cresceu na partida, criando diversas chances de empatar.

Primeiro, o veterano Baiano levou perigo em cobrança de falta cruzada. Felipe ainda teve trabalho num chute de Mazola, numa cabeçada de Paulo Roberto e numa tentativa de drible de Preto, após linda jogada do ataque campineiro.

De tanto pressionar, o gol finalmente saiu, aos 37, em bela cobrança de falta de Baiano.

Com razão, os santistas foram para o intervalo reclamando de um pênalti de Fabão em André, não marcado pelo árbitro Wilson Luiz Seneme.

No segundo tempo, o jogo ficou chato graças à falta de inspiração alvinegra. Satisfeito com o empate, o Guarani abdicou de atacar e acabou vacilando no final.

Aos 41, Léo fez boa jogada pela esquerda e cruzou na medida para Marcel cabecear e desempatar. Na comemoração, o atacante dedicou o gol a Dorival Júnior, que havia apostado nele poucos minutos antes, na vaga do apático Neymar, que passou a chamar a atenção apenas pelas novas trancinhas.

Com a porteira aberta, o Peixão ainda encontrou tempo para marcar o terceiro, com André, outro que apareceu com trancinhas no cabelo.

Jogando pro gasto e sem a alegria de sempre nas comemorações, o Peixe venceu, mas o episódio da balada ainda reflete na Vila…

Vitória comum

In Brasileirão 2010, Santos on 26 de maio de 2010 at 1:01

3ª rodada – Atlético-GO 1×2 Santos

Com ‘time comum’, Peixe vence a primeira no campeonato.

Os meninos da Vila aprontaram. Neymar, André, Ganso e Mádson saíram para comemorar o aniversário do baixinho, chegaram depois do horário estipulado e foram cortados do jogo.

Sem eles e com Robinho já integrado à Seleção Brasileira, Dorival Júnior mandou a campo um time que ele mesmo já adjetivou de ‘comum’.

Com Marquinhos, Zezinho, Zé Eduardo e Marcel compondo o quarteto ofensivo, as jogadas brilhantes ficaram de lado e deram espaço à dedicação e à objetividade.

No entanto, os visitantes sofreram no primeiro tempo, criaram pouco e ainda estiveram bem próximos de saírem perdendo, já que Thiago Feltri e Marcão tiveram ótimas oportunidades, na cara de Felipe.

No segundo tempo, o Peixão continuava sem brilho, mas conseguiu abrir o placar aos 20 minutos, com mais um belíssimo gol de Wesley, o melhor entre os coadjuvantes do time sensação do primeiro semestre. A assistência foi de Marquinhos, protagonista no mistão alvinegro.

Com a vantagem, Dorival Júnior queria velocidade e tirou Marcel para a entrada de Maikon Leite. Não demorou muito e o segundo gol saiu dos pés de Alex Sandro, que cruzou da esquerda e encontrou Zé Eduardo livre para marcar, aos 26.

Com a vitória assegurada e com um a mais em campo (o volante Agenor exagerou na dose e foi expulso), o Santos ainda se deu ao luxo de sofrer um gol, de Boka, já nos acréscimos da partida.

Mais burocrático que nunca, o Santos manteve o hábito e venceu. Dessa vez, sem show.

Volta molecada!

Peixe grande

In Copa do Brasil, Santos on 20 de maio de 2010 at 20:30

Semi – Santos 3×1 Grêmio

Incomodado com provocações gaúchas, Peixe joga com vontade e passa por cima de mais um adversário. Final será contra o Vitória!

‘Agora, o Santos sabe quem está enfrentando’.

Essas e outras palavras foram o combustível extra que os Meninos da Vila precisavam para atropelar mais um forte adversário no alçapão da Vila Belmiro e chegar à final da Copa do Brasil.

Uma vitória simples era suficiente, mas o campeão gaúcho, brioso e discplinado taticamente, não estava disposto a ser presa fácil. No primeiro tempo, nada de brilho ou jogadas muitos plásticas (exceto uma carretilha de Neymar, no comecinho). O que se viu foi muita marcação gremista e pouca inspiração santista.

O lance mais emblemático da etapa inicial foi um passe errado de Paulo Henrique no meio-campo, que poderia ter colocado tudo a perder se Borges tivesse acertado o chute, após receber de Hugo.

Se 45 minutos de marasmo têm sido raros para o Peixe este ano, imagine 90?

No segundo tempo, a equipe comandada por Dorival Júnior voltou mais ligada e contou com o talento do até então irreconhecível Paulo Henrique Ganso para abrir o placar, aos 6 minutos, numa patada de fora da área, após tabela com Neymar.

O resultado eliminava os gaúchos, que tentaram partir pra cima e foram surpreendidos pela velocidade alvinegra. A0s 24, André serviu Robinho, que viu Victor adiantado e marcou mais um golaço de cobertura. Foi o terceiro desse tipo nessa segunda passagem pelo Peixe. Virou ‘especialidade da casa’, como o próprio camisa 7 disse.

O Grêmio ainda conseguiu diminuir graças a uma falha de um dos herois do Olímpico: Felipe, que soltou a bola nos pés do zagueiro Rafael Marques e entregou o ouro.

Mas era mesmo noite dos meninos fazerem arte. No fim, Wesley avançou em disparada, passou pelo zagueiro, pelo goleiro e tocou para o fundo das redes, marcando mais um golaço e selando a vaga!

O Grêmio ainda perdeu a cabeça e teve Jonas expulso, após confusão com Edu Dracena, que também levou o vermelho e desfalca o time no primeiro jogo da final, contra o Vitória. Nos acréscimos, Rafael Marques recebeu o segundo amarelo e também foi expulso.

A festa santista ficou completa quando Neymar e Ganso responderam aos gremistas. Neymar, sempre irreverente, foi chamado de cai-cai pelo técnico Silas. E não perdoou: ‘cai-cai é o Grêmio, que caiu fora’.

E fez-se mais uma vítima da alegria, da irreverência e da arte santista.

Final, só depois da Copa.

Vovô surpreende os Meninos

In Brasileirão 2010, Santos on 19 de maio de 2010 at 1:41

2ª rodada – Santos 1×1 Ceará

Com time quase completo, Peixe é surpreendido e empata com o Ceará graças aos erros de Ricardo Marques Ribeiro.

É claro que o Peixe está muito mais preocupado com o duelo contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, do que com as primeiras rodadas do Brasileirão, mas o empate contra o Ceará teve sabor de derrota para os Meninos da Vila.

Com Robinho e Léo poupados, o Santos jogou praticamente completo e, assim sendo, a pane defensiva no gol de cabeça do ex-palmeirense Washington, aos 9, não pode ser considerada uma surpresa.

O dom de cavar faltar de Neymar também não surpreende a ninguém. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro caiu na dele e marcou o pênalti inexistente, cobrado e convertido com paradinha pela Joia da Vila, no fim do primeiro tempo.

No intervalo, Dorival apostou no dinamismo de Mádson e o colocou no lugar de Marquinhos. PC Gusmão, por sua vez, tirou o ofensivo Erick Flores e colocou o volante Luizinho, numa clara demonstração de que o empate estava de bom tamanho.

Como há muito não se via, o Santos teve dificuldades para furar o bloqueio armado pelo Vozão, criou poucas chances e só chegou perto da vitória quando Neymar teve mais uma chance de cobrar uma penalidade. Outra vez com paradinha, o artilheiro foi surpreendido pelo goleiro Diego, que não se mexeu, e acabou chutando pra fora.

Para ficar ainda mais feio, o Ceará só não saiu vitorioso porque teve um gol de Anderson mal anulado no primeiro tempo.

Ficou barato, hein, Peixão?

O melhor dos melhores

In Copa do Brasil, Santos on 14 de maio de 2010 at 20:16

Semifinal – Grêmio 4×3 Santos

Peixe abre 2×0, leva virada espetacular, mas faz gol salvador no fim. Na Vila, 1×0 basta.

Em mais um duelo ante um campeão estadual, o Peixe voltou a mostrar a força de seu ataque e a fragilidade de sua defesa.

Em pleno Olímpico, os Meninos da Vila não se intimidaram, partiram pra cima e nem sentiram a ausência do suspenso Neymar. Aos 20 minutos, o artilheiro André já havia marcado duas vezes: a primeira de cabeça, após escanteio cobrado por Marquinhos e falha de Victor, e a segunda após mais uma assistência precisa de Paulo Henrique Ganso.

Com a vantagem, porém, os visitantes diminuíram o ritmo e o Grêmio criou uma infinidade de chances. Inspirado, Felipe fez ao menos 3 defesas espetaculares e ainda defendeu um pênalti cobrado por Jonas, mas a pressão deu resultado no segundo tempo, principalmente após a entrada de Rodrigo Mancha no lugar de Marquinhos, aos 11.

O volante errou duas vezes na saída de bola e o Santos sofreu dois gols de Borges.

Dorival tentou consertar o erro e sacou o jogador 9 minutos depois de sua entrada, colocando Rodriguinho em seu lugar. Irritado consigo mesmo, Mancha socou o banco de reservas e ainda teve de assistir ao belo gol de Jonas, aos 21, num lindo chute de fora da área.

Aos 30, Borges voltou a mostrar seu faro de gol e marcou o quarto, para delírio dos mais de 38 mil torcedores nas arquibancadas.

O resultado daria uma certa tranquilidade para os gaúchos, mas o Santos conta com a magia de Paulo Henrique Ganso, que já teve seu talento reconhecido por todos, menos pelo técnico da Seleção Brasileira.

Aos 37 minutos, ele pareceu parar o tempo para observar a movimentação dos companheiros. Quando menos se esperava, a bola viajou e parou no peito de Robinho, que também esbanjou categoria na finalização: 4×3!

Gol que diminui as dificuldades para o jogo de volta, semana que vem, na Vila.

A promessa é de mais um grande jogo entre dois dos melhores clubes do Brasil (ou OS dois melhores?), agora com Neymar, mas sem favorito.

Como campeões

In Brasileirão 2010, Santos on 11 de maio de 2010 at 1:19

1ª rodada – Botafogo 3×3 Santos

Jogando como campeões, Botafogo e Santos fazem duelo de muitos gols e empatam no Engenhão.

Em mais um embate frente a um campeão estadual, o Santos de Neymar demonstrou força, mesmo na ausência de alguns titulares, como Robinho e Ganso.

O empate contra o Botafogo acabou sendo justo, já que os alvinegros cariocas também apresentaram grande volume de jogo e tiveram competência ofensiva, principalmente nas bolas paradas.

Foi assim aos 6 minutos da etapa inicial, quando o zagueirão Antônio Carlos marcou de cabeça após uma enorme confusão na área, abrindo o placar para o Fogão.

Demonstrando maturidade, o Peixe não se abateu e foi em busca do gol de empate. Conseguiu! Mais do que isso: o mistão da Baixada virou o jogo, com gols de Neymar e André. Destaque para as já costumeiras comemorações dançantes e para o brilho de Marquinhos e Alex Sandro.

Mas se o ataque brilha, a defesa falha. Aos 45, Leonardo Gaciba participou da jogada que culminou em mais um gol de Antônio Carlos, que demonstrou bom humor na comemoração, apesar da dancinha claramente provocativa aos moleques do rival. Provocou, mas com bom humor. Assim que se faz!

Com o empate, Joel se animou e resolveu colocar o time pra frente. No intervalo, Edno e Caio substituíram Túlio Souza e Renato.

Com uma ligeira superioridade do Botafogo, o jogo foi ficando chato, até que Dorival Júnior também resolveu arriscar e colocou Zé Eduardo na vaga de Neymar. O talismã da Vila entrou bem e deixou sua marca mais uma vez, com um peixinho, aos 34.

Mas do outro lado também tem um treinador cheio de estrela. Logo depois do gol, Joel substituiu Alessandro por Marcelo Cordeiro. Aos 43, o ala levantou na área e Herrera aproveitou a saída esbanada de Felipe, autor de uma linda defesa minutos antes, para deixar tudo igual novamente.

No duelo dos campeões, muitos gols, mas nenhum vencedor.

Agora, o Peixe volta suas atenções às semifinais da Copa do Brasil. Quarta, no Olímpico, Neymar desfalcará o time no primeiro duelo diante do Grêmio.

Voo da borboleta

In Copa do Brasil, Santos on 8 de maio de 2010 at 21:42

Quartas – Santos 3×1 Atlético-MG

Chamado de ‘filé de borboleta’, Neymar responde a Luxemburgo com provocação, gol, assistência, dança e classificação.

Depois do título paulista, os jogadores santistas provocaram Vanderlei Luxemburgo atual técnico do Galo mineiro, durante comemoração na Vila Belmiro.

Liderados por Robinho, os atletas entoaram o coro: ‘Ô Vanderlei, pode esperar. A sua hora vai chegar!’. Neymar, chamado de ‘filé de borboleta’ pelo ex-treinador do Peixe, ainda incitou uma provocação da galera ao atacante Diego Tardelli, que também não aprovou a ‘brincadeira’ dos Meninos da Vila.

Luxa e Tardelli prometeram resolver a parada dentro do campo, enquanto os santistas preferiram não comentar o assunto.

Quando a bola rolou, Neymar e cia. mostraram toda a superioridade, venceram e fizeram com que o treinador se pronunciasse após o jogo para dizer que estava muito chateado com a ‘ingratidão’ santista e que só voltaria à Vila como adversário.

Precisando do resultado, Dorival Júnior sacou Marquinhos e escalou André como titular. Aposta certeira! Logo aos 16 minutos, o artilheiro aproveitou cruzamento de Neymar e só empurrou para as redes. A Joia da Vila estava em posição ilegal no começo da jogada, mas Jailson Macedo Freitas validou o gol.

Aos 43, Robinho recebeu de Arouca, invadiu a área pela direita e cruzou para Neymar ampliar o marcador e dançar na comemoração.

O Galo diminuiu ainda no primeiro tempo, com Corrêa, mas não foi páreo para a ofensividade do Peixe, que voltou a ampliar aos 4 da etapa final, com Wesley.

No fim, Fabiano ainda foi expulso, deixando o Atlético com um a menos.

O Santos fez mais uma vítima e a hora de Luxa realmente chegou.

O Grêmio será o rival na semifinal. Primeiro no Olímpico, depois na Vila.

Coroação

In Paulistão 2010, Santos on 2 de maio de 2010 at 23:16

Final – Santos 2×3 Santo André

Em jogo eletrizante, Santos perde para o Santo André, mas conta com o talento de Neymar e Ganso para levantar a 18ª taça do Paulistão.

Foi mais difícil que o esperado, mas o Santos conquistou o merecidíssimo título do Campeonato Paulista 2010 e, de quebra, chegou à marca dos 100 gols na temporada!

Conquista abrilhantada pelo Santo André, que contrariou as expectativas e brigou de igual pra igual com o gigante alvinegro.

Precisando de uma vitória por dois gols de diferença para estragar a festa santista, o Ramalhão não titubeou, foi pra cima e abriu o placar logo aos 30 segundos de bola rolando, após lindo passe de Branquinho para Cicinho, que driblou o goleiro e cruzou para Nunes empurrar para o gol vazio.

Na comemoração, um gesto irônico que dizia sem palavras: ‘Ué, cadê o show?’.

A resposta viria dos pés de Neymar, que recebeu lindo passe de Robinho, ignorou a zaga e o goleiro Júlio César antes de estufar as redes e comemorar com entusiasmo.

Valente, o Santo André não se abateu e chegaria ao segundo gol aos 17 minutos se a assistente Maria Eliza Barbosa não tivesse levantado a bandeira equivocadamente no começo da jogada que terminou com uma testada precisa de Rodriguinho. Um minuto antes, Branquinho já havia acertado a trave de Felipe.

O segundo gol era questão de tempo e saiu aos 20, com uma cabeçada certeira de Alê após cobrança de escanteio.

Mesmo Alê que, minutos depois, causaria tumulto ao dar uma bronca em Neymar após mais uma das inúmeras quedas do atacante. No entanto, no lance em questão, ele realmente havia sido atingido. Depois de muito bate-boca, Sálvio Spínola resolveu expulsar Léo e Nunes, que discutiram verbalmente e nem sequer se encostaram…

O Santo André diminuiu o ritmo e o Santos aproveitou. Aos 32, Robinho roubou a bola no ataque e tocou para Ganso, que deu um lindo passe de calcanhar para Neymar marcar mais um e sair comemorando cheio de marra.

E se a intenção das expulsões era acalmar os ânimos, não deu certo. Aos 38, Marquinhos deu uma tesoura em Branquinho no meio do campo e também foi para o chuveiro mais cedo.

Com um a menos, o Peixe foi envolvido pelo bom ataque do Santo André e levou o terceiro, aos 44 minutos. Branquinho marcou após ótima assistência de Bruno César.

Bastava, então, um gol para que o título saísse da Baixada e rumasse para o ABC. Gol que quase saiu aos 5 minutos da etapa final, quando Rodriguinho recebeu de Bruno César, deixou Felipe comendo poeira e chutou fraco. Arouca salvou em cima da linha.

O pequeno se agigantou, deu trabalho e fez Dorival apostoar na estrela de André, no lugar de Robinho. O centroavente, porém, não estava iluminado desta vez.

Sérgio Soares também mexeu. Tirou Branquinho, o melhor do time, e colocou Rodrigão em seu lugar. O time perdeu criatividade, mas continuou atacando, tanto que Roberto Brum entrou na vaga de Neymar, numa clara amostra de que o Santos estava no jogo apenas para se defender. Dois minutos depois, no entanto, Brum parou um contra-ataque com falta e foi mais uma vítima do rigor de Sálvio Spínola: vermelho direto.

Dorival chamou Bruno Aguiar para recompor o ferrolho e tiraria Paulo Henrique, que estava esgotado, na visão do treinador. Ousado, Ganso decretou que não sairia e o treinador acatou, optanto pela saída de André.

Decisão mais do que acertada, já que o camisa 17 (ele cedeu a 10 para o Messias Giovanni) demonstrou maturidade, experiência, categoria e raça, segurou sozinho a bola no ataque e esfriou a pressão do Santo André, que ainda assustou com uma incrível bola na trave, de Rodriguinho, aos 45.

Depois de quatro longos minutos de acréscimo, Sálvio Spínola decretou o fim do jogo. Com determinação e futebol de gente grande, o Peixe segurou a pressão e confirmou o título mais do que merecido, diante de um não menos brilhante Santo André, que calou a boca de muita gente e mostrou muita grandeza.

Ganhou o Santos, ganhou o futebol!

Parabéns, Peixão!